Pajozinhos

quarta-feira, 21 de novembro de 2018

Músicas (pouco) infantis #1
Bom, desde que fui mãe tenho tido muito tempo para ouvir, e ouvir e tornar a ouvir músicas infantis 😅 Mas há algumas que não sei como se tornaram músicas infantis.

E neste caso nem vou falar de músicas recentes mas sim de músicas que eu ouvia e cantava em miúda.

Querem um exemplo? A musica "atirei o pau ao gato" começa com 

"Atirei o pau ao gato
Mas o gato não morreu
Dona Chica assustou-se
Com o Berro
Com o Berro
Que o gato deu, 
Miau!"


Mas quem é que se lembro que uma música em que se atira um pau a um gato é infantil? E pior é que me lembro de cantar isto a toda a hora. Mas também sei que na altura não lhe dei o significado que dou agora, era apenas uma música, não ligava à letra.

Depois também há a música "Quem quer casar com a carochinha" em que o refrão da música é "Quem quer, quem quer casar com a Carochinha? É muito rica, além de ser bonitinha!"
Mas que valores são estes? Podiam dizer que era simpatia ou inteligente, mas nao. É rica e bonitinha 🤔 Não percebo, não percebo!

Estas músicas resultam porque são rítmicas e as crianças adoram, por isso a letra podia ser qualquer coisa, mas não, tinha que ser uma coisa tão superficial

E sim, eu sei que todos ouvimos isto em crianças e não é por isso que batemos em animais e somos superficiais. Mas estas músicas estão muito presentes numa fase tão  importante de aprendizagem dos nosso filhos que se torna um pouco preocupante. 


quarta-feira, 24 de outubro de 2018

É o drama, o horror
Às vezes gostava que as pessoas ficassem tão escandalizadas com alguém que diz que não vacina o filho como ficam quando digo que a Bia não come açúcar.

Há uma grande diferença, é verdade. É que quem não vacina os filhos está a por em risco a minha filha, mas o facto de nós não não darmos açúcar processado à Bia é o melhor para a saúde dela. Porquê que fazem uma cara como se eu fosse a pior mãe de sempre? Bom, se calhar tenho que deixar de dizer não vá alguém apresentar queixa na segurança social por maus tratos. Que pela quantidade de vezes que há ouvi "coitada da criança" deve estar para breve.

Tirando o facto de as coisas saberem melhor, digam-me o benefício do açúcar processado na alimentação de uma criança.
Eu não sou fundamentalista. É claro que há-de chegar à altura em que a Bia vai comer chocolate e beber refrigerantes, mas será a exceção e não a regra.
E além disso, ela nunca provou nada com açúcar processado, por isso não sabe que ter um sabor melhor. Para ela, o que ela come é espetacular. E enquanto for possível manter este não saber, é o que vamos fazer.
 
Mas o que gosto mais é quando dizem "em criança todos comíamos cerelac e Coca-Cola e estamos aqui". A minha vontade é responder "Pois era. E a Terra também já foi plana e agora é redonda".
Na altura em que éramos crianças não havia tanta informação, nem a variedade de produtos sem adição açúcar que há agora. O porque há tanta variedade de produtos sem adição de açúcar? Porque está provado que não acrescenta nada de bom no desenvolvimento da criança.

E explicar isto? 🙄 É o mesmo aí explicar que as vacinas não causam autismo. A única coisa maléfica que a vacina faz é erradicar doenças. E quem é que quer isso, não é? 🤦

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Review dos Pajo #4
Estas férias decidimos experimentar um hotel para cães durante os 5 dias em que fomos para Melides.

Como a Bia começou a ficar adoentada no início das férias, ainda pensámos se seria melhor não ir para Melides, mas, como ela já tinha sido vista por uma médica e já estava medicada, decidimos ir assim de um momento para o outro.
Como íamos apenas 5 dias, pensamos que seria o momento ideal para experimentar um hotel para cães uma vez que nem sempre eles podem ir connosco.

Escolhemos a SweetPet porque tinha boas críticas. Ligámos para averiguar se tinham vagas para o Bock e a Kim. Fizeram-nos bastantes questões relativamente à personalidade de cada um e como são com outras pessoas e cães. Isto porque normalmente eles fazem uma avaliação antes da estadia mas neste caso era muito em cima para conseguir fazer.
Lá explicamos que o Bock é muito tranquilo e a Kim mais reguila e mexida mas que ambos se dão muito bem com outros cães.

Explicaram-nos que era necessário preencher um questionário online. Ficámos bastante admirados (pela positiva) com a especificidade das questões. Desde a quantidade da comida, a alergias, medicamento a tomar... enfim, tudo o que possam imaginar, estava naquele questionário.

Confesso que antes de ligarmos pensei " bom estamos a meio de Setembro, devem ter imensas vagas" mas a verdade é que quando lá chegámos estavam bastantes cães, o que é sempre bom sinal numa altura em que a maioria das pessoas já regressou de férias.

Ainda ficámos um pouco de pé atrás quando os entregamos porque não foi possível vermos as instalações onde eles iriam dormir para não destabilizar os outros cães. O que eu até percebo, mas não deixa de ser um pouco angustiante porque íamos lá deixar os nosso meninos.

Para que eles se sentissem mais "em casa" levámos a transportadora onde eles costumam dormir. Como é grande, eles gostam de dormir os dois juntos lá dentro, é o género de uma casota. Por isso pedimos para os deixarem ficar juntos a dormir. Para além disso fizemos os típicos pedidos de quem tem bulldog francês:

  • Não os deixar ao sol muito tempo;
  • Se tiver muito calor, mantê-los dentro das instalações;
  • Pará-los caso vejam que já estão muito cansados (os nosso não têm a noção que devem parar, correr até caírem para o lado).

E como pais que somos, o que fizemos nos dias seguintes? Ligámos para saber como eles estavam, claroooo. Foram sempre atenciosos a responder a todas as nossas perguntas de pais em pânico por deixar lá às crianças.

Resumindo, o Bock comeu e dormiu 😂 A Kim, como maluca que é, fartou-se de correr atrás dos outros cães mas não comia a ração toda.
Eu já tinha a noção de que ela iria sentir mais a nossa falta do que o Bock porque ele é mais independente. Ela é a nossa menina mimada.

Foi uma boa primeira experiência!

E vocês? Já experimentaram hotéis para cães? Se sim, quais?

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

O que levámos na "mala" da Bia para as férias
Acho que quem não tem um bebé nem sonha com a quantidade de coisas que é preciso levar connosco de férias. Nem eu tinha a noção da quantidade de coisas necessárias.

Só para terem um noção, levámos 2 malas de roupa. Uma com a minha roupa e do J.  e outra só com a roupa da Bia. E confesso que maior parte da roupa de levei para dela não foi usada. Mas com isso já estava a contar porque levei roupa sempre a pensar nas mudas de roupa caso ela se sujasse ou caso o tempo ficasse mais frio. Até porque muitas vezes à noite fica sempre mais fresco, apesar de até nem ter sido este o caso nestas férias, esteve sempre muito calor. Mas pronto, mais vale levar a mais e não usar do que precisar e não ter, não é?

Outro "problema" era  sítio para a Bia dormir. Acabamos por decidir levar o parque em vez de estar a comprar um daqueles berços de viagem. Seria um desperdício de dinheiro pois só seria utilizado uns dias e depois iria ser arrumado até às próximas férias.
E resultou, colocámos um edredom mais fofinho por baixo para ficar mais confortável e ela dormiu bem como sempre.


Para além disso levámos:

  • Cadeira de refeições;
  • Brinquedos (claro);
  • Fraldas, água de limpeza e compressas. Mas acabamos por usar as waterwipes por é mais prático.
  • Fraldas de pano;
  • Repelente e gel para picadas, que felizmente não foram necessários;
  • Medicamentos;
  • Biberões e leite;
  • Kit de higiene;
  • Sopa e comida sólida congelada da Bebé Gourmet;
  • Papa e biscoitos da Holle;
  • Garrafão de água Monchique;
  • Termómetro culinário para fazer o biberão.

Acho que não me esqueci de nada, mas é bem possível 😂

E vocês? Também costumam "levar a casa atrás"?

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

1 Ano de Bia

Como assim já passou 1 ano? COMO?

Nem parece real. Passei  9 meses à espera que ela nascesse e de repente já tem 1 ano. Quando nos dizem "aproveita que passa rápido" pensamos "sim sim, já sei" mas é verdade. Acontece tudo tão rápido que quando dei por mim já tinha passado 1 ano.

A Bia já nem parece uma bebé, já anda apoiada, bebe água e leite sozinha. Basicamente ela já só precisa que lhe faça a comida e que lhe mude a fralda.
Bom também precisa que lhe dê banho, que a vista, que lhe dê a comida sólida porque ainda não sabe pegar na colher, mas vocês percebem o que quero dizer. Ela está cada vez está mais independente o que é bom, maaas custa um bocadinho. Foi bebézinha durante tão pouco tempo.
Quando vejo as fotos que tirámos há 1 ano, já tenho tantas saudades. É claro que ela agora interage muito mais connosco e é bom vê-la a descobrir tudo, mas às vezes também é assustador ver a velocidade a que ela se torna uma mini pessoa.

1 ano, 8.900Kg e 76cm depois a minha bebé cresceu.

Neste ano de vida a Bia:

  • Passou 6 meses comigo e os restante na creche, 2 creches para ser mais concreta.
  • Entrou na natação onde descobrimos que é uma aventureira sem medo de nada e que adora água.
  • Foi à praia e ficámos a saber que mãozinha na areia nem pensar. É super engraçado ver que ela fica mesmo incomodada com a areia. Basta ter uns grãozinhos de areia na mão e fica a olhar e a tentar tirar. Para terem uma noção, se um brinquedo estiver na areia, ela não o vai buscar por muito que queira brincar com ele. Chama a atenção e aponta para o brinquedo para que nos lhe dêmos o brinquedo. E claro que senta-la na areia nem pensar. Na praia, ou esta na toalha ou na piscina, tudo o resto não dá. Já a tentamos sentar à beira mar mas não a convencemos.
  • Foi à quinta pedagógica dos Olivais e ficou maravilhada com as ovelha;
  • Desafia todos os dias a paciência dos patudos cá de casa 😇
  • Experimentou novos alimentos, e deixem-me dizer que ela adora comer.
E muito mais está por vir. 


sábado, 15 de setembro de 2018

Maleitas da creche #1

É finalmente estamos de férias 😀😀😀 Depois de uma semana em que a Bia acordou várias vezes à noite, nada podia ser melhor do que entrar de férias. Mas quem é mãe/pai sabe que nunca se entra meeesmo de férias.

Pois bem, no dia antes de entrar de férias, recebi um e-mail da creche da Bia no qual informavam que havia um caso de oxiúro na creche, embora não fosse na sala da Bia. E o que é um oxiúro? Segundo o Dr. Google, é um verme que parasita o intestino. E claro que uma pessoa lê isto e fica logo de cabelos em pé.

A transmissão do oxiúrus ocorre pelo contato com os ovos do verme que podem estar nos objetos de uso pessoal da criança infetada por isso já podem imaginar o quão rápido se espalha numa creche.
Alguns dos sintomas são comichão no ânus, enjoos e vomito.

A Bia não tinha nenhum destes sintomas mas na creche aconselharam todos os pais a falarem com os pediatras para que as crianças fossem observadas, até porque é necessário tomar medicação.

Mais tarde, recebi outro e-mail a informar que tinham sido reportados mais casos noutras duas salas e por isso decidi ligar para a minha sns24 para saber como devia proceder pois a Bia tem consulta marcada na pediatra mas ainda faltam uns dias.

Liguei e, após algumas perguntas, sugeriram que no dia seguinte nos dirigíssemos ao centro de saúde para que a Bia fosse observada. Informaram-me do horário de atendimento e que tinham enviado uma notificação para o centro a informar que a Bia iria ser encaminhada para observação. Pediu que no momento em que fossemos pedir para a Bia ser observada, referisse que tinha sido por indicadin do sns24.

Na altura fiquei "Hmm sim, estou mesmo a ver que vou ficar imenso tempo há espera" mas a verdade é que não. Chegámos à secretaria, referi que tínhamos sido encaminhadas pelo sns24, dei os dados da Bia e disseram-me para aguardar porque a médica de família não estava mas iríamos ser atendidas pela médica que a estava a substituir. Bom, posso dizer que demorámos mais na fila para dar entrada no centro de saúde do que à espera da consulta. 

Depois de algumas perguntas, saímos de lá com uma receita de "desparatisante" para a Bia, para nós e para os avós. E com a indicação que deveríamos falar com o veterinário dos meninos para saber o que seria necessário fazer. E adivinhem... Também precisavam de ser desparatisados. 
Apesar de nenhum de nós ter sintomas para já, mas neste caso é mais prevenção uma vez que se espalha muito rápido e de forma fácil. 

Resumindo, mais uma vez estou muito satisfeita com o atendimento da linha sns24 e já fomos todos desparasitados 😆 Nada mal para o primeiro dia de férias, não é? 


segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Fomos à Comic Con e....
E... Gostámos! Não posso dizer que foi a coisa mais fantástica que já vi até porque não é a Comic Con que se vê nos EUA.
Mas fomos sem expectativas, sem fazer grande ideia do que íamos encontrar, e acho que foi por isso que não ficamos desiludidos.

Se a maioria das pessoas estava com cosplay? Não, mas nós também não estávamos.  Mas posso dizer que havia lá pessoa que deram tudo, estavam mesmo muito bem.

Não fomos a muitas conferências, apenas vimos 2, Elyes Gabel ( ator na série Scorpion e Guerra dos Tronos)  e Dolph Lundgren (ator Rocky 4, Os Mercenários..)

Na maioria do tempo que lá estivemos aproveitamos para ir espreitar um pouco todos os "auditórios", vimos concursos de K-pop que sinceramente não percebi 🤣 Já estou a ficar velhota. Acho que fiquei com a mesma cara que a minha mãe fazia quando eu ouvia os Excesso ou os Backstreet Boys.

Mas passado à frente, tiramos fotos com adereços dos Avengers e Star Wars. Procuramos uma caixa de papelão que não sabia o que era mas toda a gente tinha por isso eu também queria uma. Acabamos por descobri que era um banco portátil 😂

Enfim, foi muito divertido. Percebo as críticas que quem queria que tivesse o mesmo nível que as Comic Con, eu também queria mas a verdade é que esta é apenas a 5 edição, de certeza que está melhor desde que começou, vão aprendendo. Também não podemos espera que de um ano para o outros Portugal tivesse a melhor Comic Con de todos os tempos.

Relativamente à polémica de terem trazido a Comic Con para Lisboa, não percebo.
Podiam ir revezando, um ano em Lisboa, outro em Matosinhos e outro no Algarve até. Quando é o problema? As pessoas têm sempre que ver um problema em tudo. Até porque de certeza que algumas das pessoas que ficaram tão indignadas nunca foram à Comic Con enquanto foi em Matosinhos, mas este ano que foi em Lisboa é que se lembraram. Haja paciência pessoas, haja paciência.













Músicas (pouco) infantis #1

Bom, desde que fui mãe tenho tido muito tempo para ouvir, e ouvir e tornar a ouvir músicas infantis 😅 Mas há algumas que não sei como se...

@templatesyard