Abril 2018 - Pajozinhos

quarta-feira, 25 de abril de 2018

Agora deu-lhe para isto #1

A Bia anda numa fase em que quando acaba de comer a cadeira de refeições deixa de ser branca. 

Ela agora só abre a boca se conseguir agarrar a colher. Mal aproximo a colher, ela estica logo a sua mãozinha para a conseguir agarrar. Quando consegue, põe na boca e só come assim.

É tão estranho ver esta evolução, ela começou a fazer isto no sábado. Acho que deve ser porque vê as outras crianças na creche a fazer isto, claro que eles já devem ser mais coordenados 😂 

Bom no fundo é estranho ver todas estas mudanças. Noto uma grande diferença desde que ela foi para o berçário.Claro que como passo menos tempo com ela, ia sempre ver mudanças mas parece que tudo acontece mais rápido.

domingo, 22 de abril de 2018

Mom's BFF #2

Hoje venho falar de algo que nos tem dado um jeitão desde que a Bia nasceu, o Next2Me da Chicco.

Neste momento já estamos a pensar na transição para o quarto dela porque ela já se mexe muito bem, e já começa a domir noites inteiras. Para terem uma noção, ela na noite de quinta para sexta, comeu as 20h de quinta-feira e só acordou para comer às 6h30 de sexta.
Portanto achamos que está na hora de fazer esta transição. Mas como ainda não montámos o berço e temos a cama do outro quarto por desmontar, ela ainda vai ficar mais uns diazinhos pelo nosso quarto.

A verdade é que o Next2Me tem ajudado muito, cada vez que a oiço a tossir ou a fazer uma barulho mais estranho, só tenho que esticar o braço para ver se ela está bem. Acho que quando ela for para o outro quarto, os primeiros tempos vão ser complicados. Lá me estou a imaginar a levantar imensas vezes durante a noite só para ver se ela está bem.

Basicamente é como se ela dormisse na cama connosco, mas assim tem o seu próprio espaço para que não hajam acidentes. E é tão bom, poder estender a mão e ela estar mesmo ali, poder estar deitada com ela só a olhar ou a fazer festinhas.

Se andas a pensar de deves ou não ter um, aconselho meeeeesmo. Posso dizer que deve ter sido uma das coisas mais úteis durante estes 7 meses.
Se não andas a pensar nisto, olha que devias 😆

quinta-feira, 19 de abril de 2018

Coisas que passei a 'odiar' desde que fui mãe #1

Nesta rubrica vou falar um pouco de coisas que antes de ser mão não me incomodavam por ai além, mas agora são coisas que me põem os cabelos em pé.

Bom, para começar logo bem vou falar de algo que me irrita todos os dias: condutores. Sim, isso mesmo! Claro que não são todos, mas quem mora em Lisboa, como é o meu caso, sabe que o condutores são do pior.


Na altura em que a Bia começou no berçário, começaram também as primeiras chuvas e claro que as sarjetas não estavam limpas e ficava muito água acumulada.

No segundo dia de berçário,já no caminho para casa, parei nos semáforos para conseguir passagem. Vi que estava uma poça gigante de água e tentei afastar-me o mais possível. Os carros ao verem que estávamos ali, abrandavam ao passar até que um chico-esperto achou que os outros iam devagar por são todos uns totós, ele é que sabia e então passou por ali a abrir, resultado, a água que estava na estrada toda para cima de mim e do carinho da Bia. Felizmente o carrinho estava protegido com a capa para a chuva, mas e se não estivesse? Não estava a chover naquele momento, eu podia não ter colocado a capa antes de sair do berçário. Só me vinha a cabeça a imagem da Bia ensopada com o frio que estava e com aquela água nojenta e posso dizer-vos que nunca me apeteceu tanto dar com um chapéu de chuva na cara de uma pessoa repetidamente como naquele dia.

Já para não falar daqueles que estacionam em quase ou mesmo em cima das passadeiras. Eu não sei se entretanto as coisas mudaram mas no meu tempo, na escola de condução ensinaram-me que era proibido estacionar a menos de 5 metros. É que o código da estrada deve ter mudado tanto que até já podes estacionar em cima das passadeiras. Olha que bom, não é? Só que não pessoas, não é. Como uma pessoa não quis procurar lugar num sitio mais apropriado, eu vejo-me aflita para conseguir passagem com o carrinho da Bia, porque os carros não me vêem ou fingem que não, mas bom eu quero acreditar que não vêem  e também não me posso pôr no meio da estrada com a Bia. E este cenário complica-se quando são carrinhas a estacionar assim.


Mas ainda há algo que me irrita mais... As pessoas que estacionam em cima dos passeios. 




Isto sim, deixa-me fora de mim sobretudo quando os passeios são estreitos e portanto ou cabe uma pessoa ou cabe um carro. E sabem qual o resultado? Lá tenho que ir eu com um carrinho de bebé pelo meio da estrada porque uma pessoa, ou várias, não estiveram para deixar os carros mais longe e mexer as perninhas até ao sitio que precisavam de ir. 

Mas como não são coisas que se odeiam, uma das coisas que passei a adorar desde que fui mãe é a EMEL, onde há EMEL não há carros a tapar caminhos nem em cima do passeio. Ah e a policia municipal também. Cada vez que os vejo a rebocar carros aqui na rua é sempre uma festa. Nunca pensei ficar tão contente por ver carros a serem rebocados, mas o que penso é "mais uma pessoa que vai pensar duas vezes antes de deixar ali o carro outra vez".

quarta-feira, 11 de abril de 2018

Receitas dos Pajo #5
A receita desta semana é papa de farinha de aveia e manga. Esta papa pode ser dada a bebés a partir dos 6 meses de idade.

Ingredientes:
  • 100g manga madura;
  • 3 colheres de chá de farinha de aveia (aproximadamente 30 g);
  • 150 ml de água.

Sem Bimby:
  • Num tacho, adicionar a água e a farinha de aveia. 
  • Cozinhar em lume baixo durante 15 minutos e mexer bem durante todo este tempo. É importante mexer bem para que a papa não cole ao tacho nem forme grumos. A farinha de aveia não tem tanta apetência para ganhar grumos como as outras farinhas mas mesmo assim é importante mexer bem.
  • No final da cozedura, adicionar a manga cortada em pedaços.
  • Triturar e colocar no recipiente; Não deve deixar a papa a arrefecer no tacho pois irá continuar a cozer e poderá queimar.

Com Bimby:
  • Adicionar a água e a farinha de aveia;
  • Cozinhar a 90º, durante 15 minutos com velocidade invertida a 2.5;
  • No final da cozedura, adicionar a manga cortada em pedaços.
  • Triturar a velocidade 5/6 durante 30 segundos;
  • Colocar no recipiente.
Esta receita é para uma refeição, se quiser fazer mais é só adicionar os ingredientes proporcionalmente, ou seja, se quiser duas refeições deve usar 200g de manga, 6 colheres de farinha e 300 ml de água.

Nota: Pode substituir a água por leite (materno ou suplemento), o que tornará a papa mais completa a nível nutricional. Mas, neste caso, terá que servir assim que esteja a uma temperatura adequada para o bebé comer, não é possível guardar para mais tarde nem fazer no dia anterior.

Espero que gostem.. e boas papas!!!

segunda-feira, 9 de abril de 2018

Natação - A primeira experiência na piscina
É verdade, a Bia começou a ter "aulas" de natação. Nós demos algumas pistas no Instagram/Facebook, alguém adivinhou?


Estamos sempre à procura de formas para a estimular e a natação pareceu-nos uma ótima ideia. Tinha a ideia fazia bem mas não sabia especificamente ao quê. Após alguma pesquisa o que descobri foi que a natação:

  • Ajuda no desenvolvimento muscular e do aparelho cardio–respiratório;
  • Promove o desenvolvimento social e intelectual;
  • Ajuda no desenvolvimento da coordenação motora:
  • Estimula o apetite:
  • Promove um sono mais descansado;
  • As aulas são realizadas com pai/mãe o que ajuda a reforçar o vínculo familiar;
  • Aumenta a independência e autoconfiança do bebé.

Contudo, há algumas contra-indicações, como o cloro. Alguns exemplos de contra-indicações são:

  • Problemas imunológicos;
  • Problemas respiratórios como alergias e asma;
  • Sinusite;
  • Irritações dermatológicas:
  • Otites.
A primeira experiência dela correu muito bem. Nós já estávamos à espera que ela fosse gostar porque ela adora tomar banho e chapinhar na água.
Enquanto o J. entrava na água, a Bia ficou sentada à beira da piscina com a ajuda do professor. Ela lançou logo as mãos para a frente para querer mexer na água. Foi aquele momento "awwwwww".




Bom, para ser sincera toda a aula foi um momento "awwwwww", ou era porque ela olhava para a bancada e ria-se, ou porque davas às perninhas ou porque engolia pirulitos.

A aula tem a duração de 30 minutos e é sempre acompanhada por um pai/mãe e uma vez por mês os 2 pais podem ir para a piscina com ela. Tem também um professor que nos vai explicando como melhor aproveitar a aula e ajudar ao desenvolvimento. 
O professor deu uma bola pequena, +/-do tamanho de uma bola de ténis, e o objetivo era colocar na água à frente da Bia e ver se ela tentava ir busca-la, e lá foi ela com os seus bracinhos esticados a tentar por tudo agarrar a bola, claro que quando a agarrou foi logo para a boca.

E foi assim que passou estes 30 minutos, a andar de um lado para o outra na piscina, a brincar com a bola e a adorar tudo.
No final da aula ela começou a ficar mais rabugenta porque já estava na hora do soninho dela, e quando começa a ficar assim já não há nada que ajude.


Acho que podemos dizer que a primeira experiência correu bem, vamos ver como corre daqui para a frente. Não espero grandes dificuldades porque ela parece ter gostado bastante.


sexta-feira, 6 de abril de 2018

Absurdices de mãe #1
Na noite de terça para quarta tive uma noite péssima e sem ração nenhuma a não ser uma 'absurdice' de mãe. 
Pois bem, eu vou explicar o que aconteceu e depois digam-me se tenho ou não razão.

Então, terça-feira foi um dia absolutamente normal, chegámos a casa do trabalho/berçário, a Bia brincou por um minutinhos, entretanto começou com os gestos do soninho, fomos mudar a roupa e caminha. 
Por volta as 18h30 ela acordou para comer, comeu cerca de 180ml de leite e voltou a dormir. Até aqui tudo normal, fui à minha vidinha.

Quando me deitei ela dormia profundamente e é sempre aquele momento "Awwww ela é tão fofaaaaa". Mas voltando ao assunto que me trouxe aqui hoje, quando me deitei pensei "Bom, vou aproveitar estas horinhas para descansar porque ela por volta das 24h/1h da manhã vai acordar para comer". E pensei isto porquê? Porque é horário normal dela, come por volta das 18h, depois acorda entre as 24h/1h da manhã e depois torna a dormir até as 6/7 da manhã até que acorda novamente para comer.

Mas na noite de terça para quarta isto não aconteceu. Acordei eram 1h da manhã e ela nada, dormia profundamente. E eu "pronto ok, se estás a dormir, boa". Tornei a acordar eram 2h30 e nada, e só pensava no que a pediatra tinha dito "não precisa mais de acordar mesmo que não coma há mais de 8 horas". E vá eu sei que a pediatra disse isto mas o que me passava pela cabeça era "e se ela entra em hipoglicemia? Eu vi que isso era uma coisa que podia acontecer" mas depois pensava "Bom, ela com estas bochechas pode estar até um mês sem comer, como os ursos".

Voltei a dormir e adivinhem, 4 da manhã e eu em modo detetive no escuro a ver se ela estava a respirar e numa de acordo, não acordo. 

Resumindo, a rapariga lá acordou as 5 da manhã, comeu a sua dose normal e voltou a dormir, e eu lá fui dormir as minhas 2 horinhas até ser acordada pelo despertador. 

E quando acordei foi aquele momento "Mas que parva!!!! Porquêeeeeee???".  E pronto, lá passei o dia com os olhos a pesar de sono por um absurdo. 

Antes de escrever este post ainda ponderei porque isto até é uma ofensa para as mães que não conseguem dormir, vou dizer "Ai tive uma noite horrível porque a minha filha dormiu a noite toda". Mas eu quero acreditar não sou a única a fazer estas figuras (por favor digam-me que não 😂)

quarta-feira, 4 de abril de 2018

Baby's BFF #3
Desde que fez os 6 meses não foi só a alimentação que mudou, houve também uma mudança no sítio onde ela come. Ela comia na espreguiçadeira mas já não nos dava jeito nenhum, precisava que ela ficasse mais direita, portanto compramos uma cadeirinha.
Quando estava grávida vi imensas coisas de bebé, até coisas que só ia precisar mais tarde como a cadeira de refeições, e era todas caríssimas, dos 80€ para cima.


Mas não, não demos este valor absurdo por uma cadeira. O que fizemos foi ir aquela loja que tem tudo e mais alguma coisa para a casa, o IKEA. Sim, o IKEA!!! 
Admirem-se mas demos 25€ pela cadeira, sendo que ainda pode ficar mais barato se não comprarem a almofada de apoio, ou seja pagamos 14,99€ pela cadeira e 6,99€ pela almofada. Esta almofada é um insuflável que depois tem uma capinha e dá muito jeito para a Bia ficar mais aconchegada, mas não me parece que vá precisar dela muito mais tempo.
E se  estão preocupado que a cadeira não seja segura, não estejam porque é super estável e tem um cinto para prender a criança. 



Já andava de olho nesta cadeira quando ainda estava grávida porque vi uma mãe a falar dela no Instagram. Ela tinha gasto uma fortuna numa cadeira de refeição super fofinha mas que não lhe dava jeito nenhum, a bebé escorregava na cadeira e ficava muito 'afundada' na fofice da cadeira. E ela acabou por comparar esta do IKEA e estava a falar super bem. E a verdade é que estou super satisfeita, a Bia adora estar na cadeira, seja a comer ou a brincar. E é super fácil de limpar o que também é muito importante tendo em conta os tempos que se aproximam.

Neste tema tive um pouco de dificuldade em decidir se colocava na rubrica 'Mom's BFF' ou na 'Baby's BFF" por a verdade é que ela adora brincar na cadeira, mas a mim também me dá um jeitão porque mesmo quando estou na cozinha a fazer alguma coisa posso te-la lá comigo ao mesmo nível da bancada portanto ela pode ver tudo e eu consigo controlar o que ela está a fazer.



Festa dos 2 anos com a Masha e o Urso

Não sei como é que o tempo passou tão rápido mas a Bia já fez 2 anos. E para comemorar decidimos fazer a festa com o  tema da Masha e o Ur...

@templatesyard